segunda-feira, 19 de março de 2012

Saudades imensas e eternas!

"Só sabe quem já perdeu. Sabe um pouco quem viu perder, outro pouco quem acompanhou a dor de quem perdeu. É um vazio impossível de preencher."
 Pe Zézinho

Tarsila Poiares Carneiro da Silva nasceu aos 10 de setembro de 1975 e partiu através de um trágico acidente aos 11 dias do mês de março de 2012.
 ( Uma de suas últimas fotos em vida)

"Na terra foi  querida e despertou amor e amizade em todos que a cercavam. Não esqueceremos da estima que devotava aos seus e dos doces momentos que compartilhamos. Com sua partida, vertemos nossas lágrimas em saudades e pedimos ao Senhor que a receba de braços abertos"




E ela foi...

Como já cantava o poeta Vinícius de Moraes: “Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça e ela menina que vem e que passa. Um doce balanço ao caminho do mar.” Assim era Tarsila, uma Mulher com jeito de menina; uma Mãe como jeito de amiga; uma Amiga com jeito de mãe. Sincera, espontânea e transbordando bom humor, ela ia passando e conquistando a todos que tiveram o prazer de conhecer a doce e sedutora, Tarsila.

Sempre linda de corpo e alma. Seus cabelos, longos e loiros esvoaçam ao vento e seguiam o seu andar que mais parecia um flutuar, de tão leve e suave. Seu charme, nato e sedutor, deixava muita mulher enciumada, isto sem falar naquele lindo sorriso, que não cansava de ficar estampado em seu delicado rosto desenhado por Deus.

Bom humor e alto astral, marcas registradas da pequena de tamanho, mas grande de espírito. Assim era Tarsila, que sempre fazia de uma música, uma trilha sonora daquele momento que de uma maneira ou de outra marcava aquele fato em especial. E o mais interessante é que ela com seu jeito amável de ser contagiava a todos a seu redor, pois quando menos esperava, estavam fazendo coro ao seu cantarolar.

Típica mulher do século XXI, mãe, esposa e com uma jornada de trabalho pesada, já que se dividia em mais de uma empreitada o celular era seu companheiro inseparável. Seus dedos longos e sábios como de uma pianista, não cansavam de dedilhar mensagens encantadoras para as suas eternas musas, as fihas, Luiza e Liz Maria. O que aliás, se orgulhava demais em ser fruto da união do grande amor de sua vida - como sempre falava - meu primeiro namorado e amante, Luizinho.

E mesmo assim ela foi. Deixando marcas jamais esquecidas de tão intensas como tudo que fazia.

Saudades imensas e eternas...

De sua Amiga

Eloisa Seady

7 comentários:

  1. MARAVILHOSO !!!!LINDO LINDO OBRIGADA MINHA AMADA!!!!

    ResponderExcluir
  2. Tatiana Poyares Nolasco21 de março de 2012 13:58

    Não tenho palavras diante de um texto tão lindo, que retrata exatamente quem é Tarsila.
    Tenho orgulho em dizer, é minha prima!!!!!
    Ainda consigo escutar suas gargalhadas....
    Muita saudade

    ResponderExcluir
  3. Tânia, perder alguem tão querido é muito triste mesmo, a gente nunca quer acreditar. Infelizmente a vida tem dessas coisas e só Deus pra confortar e iluminar nossas vidas pra serguirmos em frente. Que ele abençõe e conforte seus corações.

    ResponderExcluir
  4. Dinda de Tarsila vc é demais. Parabéns Tania. Adorei te conhecer e as belas palavras naquele dia tão triste que passamos juntos.

    ResponderExcluir
  5. Tarsila,

    "A sua ausência nos causa profunda tristeza, mas relembrar as alegrias que você gerou entre nós é como se você aqui estivesse presente."

    Tia Leda ( era assim que me chamava)

    ResponderExcluir
  6. Vc descreveu perfeitamento o que Tarsila!!Lindas palavras.

    ResponderExcluir
  7. Como é triste perder quem a gente ama. A dor de saber que não veremos mais, não abraçaremos mais, não falaremos mais é terrível... Compartilho essa dor pois perdi minha amada irmã semana passada...

    ResponderExcluir

Fico muito feliz com os comentários no BLOG DA COLUNISTA . Tanto aqueles que nos incentivam quanto aqueles que nos criticam construtivamente. Mas por favor, quando emitir sua opinião procure sempre se identificar assumindo o que relata. AGRADECIDA!